adaptação ao implante

Adaptação ao implante: como funciona a reabilitação oral?

O procedimento de adoção do implante dentário é aquele no qual dentes perdidos são substituídos por peças artificiais semelhantes ao natural, de forma fixa. Pode ser uma alternativa interessante para devolver não só a estética, mas também a funcionalidade e qualidade de vida para o paciente, já que isso interfere em questões básicas, como a fala e o ato de mastigar.

Contudo, para aqueles que se acostumaram com a ausência daquela estrutura, a adoção do implante pode exigir um período de adaptação, a fim de preparar a pessoa para retornar à vida normal. Para isso, pode ser necessário passar por um período de reabilitação oral. Já ouviu falar nisso?

Vamos mostrar, a seguir, os principais pontos aos quais deve estar atento e tirar suas dúvidas sobre o tema. Boa leitura!

Sintomas iniciais após a inserção do implante

Em primeiro lugar, você deve estar ciente sobre quais são os primeiros sintomas de mudanças ao adotar o implante dentário. Nos primeiros dias após o procedimento, você poderá sentir:

  • dores e edemas (inchaço) na região do implante, já que é um procedimento cirúrgico que está sendo feito com a inserção de um corpo estranho na região;
  • desconforto na região, principalmente por ter uma estrutura nova com a qual não estava acostumado;
  • salivação alterada, tendo um período inicial de maior salivação. Contudo, com o tempo, isso se ajusta. Essa alteração ocorre, justamente, porque é um corpo novo na sua cavidade oral. Ao se acostumar, a salivação diminui;
  • mudanças na fala, já que há uma alteração estrutural na sua boca, a qual não estava acostumado e você estava já adaptado com a situação anterior. Além disso, como não estará com prótese total, não terá mais medo de ela cair durante sua fala e, assim, poderá passar a falar com mais conforto, algo que será novo em sua rotina.

Além do que listamos, você poderá ter um sintoma positivo: como não há mais a presença de uma estrutura metálica ou de acrílico no céu da sua boca, tal como acontece com as próteses totais, sua sensibilidade para o paladar poderá se tornar mais aguçada e, assim, ter uma melhor sensação ao se alimentar, sentindo o sabor natural. Muito bom, não é mesmo?

Adaptações após o implante e mudanças de hábitos

Nos primeiros dias é comum que você sinta alguns incômodos e a sensação de “boca cheia”. Lembre-se que, por algum tempo, estava acostumado com a “ausência” daquela peça e, agora, precisa se reacostumar com a sua presença. Isso vai exigir um pouco de paciência no período inicial.

Nos primeiros dias é preciso manter, também, um certo repouso, para auxiliar no processo de cicatrização, permitindo que o implante “cole” no osso mais facilmente e reduza dores e inchaços. É importante realizar esse processo por, pelo menos, 48 horas após o procedimento.

Outra adaptação inicial é optar por alimentos líquidos e pastosos, sempre frios nos primeiros dias, para evitar machucar a região e levar maior irrigação sanguínea para o local, o que pode dificultar a cicatrização.

Contudo, em alguns casos, pode ser necessário realizar algumas adaptações. Por exemplo, caso sinta dor ao mastigar ou que está “mordendo a boca”, pode ser preciso realizar um desgaste na região para ajustar a mordida.

É importante lembrar que o implante não é rejeitado pelo corpo. Seu organismo precisa de tempo para que o implante possa “colar” no osso — é o que chamamos de osseointegração.

Após a inserção do implante, você deverá continuar mantendo uma boa higienização bucal. O recomendado é realizar o uso de fio dental e enxaguante bucal por, pelo menos, uma vez ao dia. Isso não é, necessariamente, uma mudança de hábito, contudo, é importante ressaltar que esses cuidados ganham mais importância com a adoção do implante, para manter a higiene bucal.

Cuidado, também, com alimentos muito pigmentados e corantes. Eles podem fazer com que a peça possa perder sua coloração natural e manche com o tempo, sendo necessário intervir posteriormente no processo de manutenção. Assim, alguns alimentos que merecem atenção são:

  • café;
  • ketchup;
  • alimentos com corantes;
  • vinho;
  • beterraba;
  • molhos escuros (como o shoyu e o inglês);
  • mirtilo e outras frutas pigmentadas;
  • refrigerantes (principalmente os escuros e com corante), entre outros.

Importância da necessidade de manutenção do implante

Após a inserção e cicatrização do implante, é importante que mantenha a manutenção, com retornos periódicos. O profissional vai fazer a limpeza mais profunda, para evitar acúmulo de resíduos alimentares na região, o que gera as placas bacterianas.

Isso é fundamental porque, apesar de ser uma peça sintética, as placas, quando entram em contato com o tecido gengival e ossos, podem causar problemas nessa região, afetando a sustentação do implante. Um dos que são mais comuns nesse caso é a perda óssea gerada por esse desgaste provocado pela placa bacteriana na região.

Assim, é possível manter os benefícios trazidos pela adoção do implante e, assim, continuar mantendo os ganhos em sua qualidade de vida e saúde, bem como evitar problemas futuros. Além disso, o profissional avaliará se há algum tipo de desgaste, fratura ou quebra que pode comprometer o uso do implante no dia a dia, garantindo maior durabilidade. Saiba mais sobre o processo de manutenção neste artigo imperdível e tire suas dúvidas.

Reabilitação oral e sua importância

O implante faz parte do que é chamado de procedimento de reabilitação oral, ou seja, técnicas, práticas e procedimentos que visam retomar sua saúde e qualidade de vida. Assim, por meio do procedimento, você consegue voltar, por exemplo, a consumir alimentos de maior resistência (como maçãs), por ter uma melhor capacidade oral para isso.

Essa questão é fundamental não só pelos nutrientes de determinados alimentos, mas também porque isso traz mais conforto e felicidade para quem deseja voltar a comer coisas que gostava antes e, até então, não sentia confiança para isso.

Além disso, a reabilitação oral traz mais autoestima para o paciente, que volta a poder sorrir com confiança e felicidade real. Isso também auxilia a trazer mais tranquilidade para o seu dia a dia e interfere, consideravelmente, em sua saúde e qualidade de vida.

Por isso, aguardar a adaptação ao implante e realizá-lo da melhor forma é fundamental para que você possa retomar sua qualidade de vida. Com isso, pode ter certeza de que poderá ter melhores resultados para seu dia a dia.

Quer agendar uma avaliação com o Dr. João Marcelo Arcoverde? Clique aqui!

Assine e receba dicas sobre saúde bucal

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.